EPI_2989-Edit
Testes

Triumph Tiger 900 Rally Aragón Edition: dedicada ao off-road extremo

8 Minutos de leitura

  • Publicado: 11/01/2024
  • Por: Alexandre Nogueira

A Triumph lança a linha Aragon da família Tiger 900 em homenagem a vitória do piloto da casa Ivan Cervantes, que faturou o famoso Rally Baja Aragon e atua como embaixador da marca para a nova linha de motocicletas off-road que está sendo desenvolvida pela Casa de Hinckley. 

A família Triumph Tiger 900 são novas máquinas revolucionárias quando comparadas com a Tiger 800 anterior, que diga-se de passagem, são máquinas de perfil aventureiro, mas muito mais focadas no ambiente estradeiro para encarar longas jornadas com a máxima performance e conforto. A Triumph está posicionando as novas Tiger 900, modelos GT para uso principalmente em rodovias de bom asfalto e modelos Rally para uso off-road, substituindo a nomenclatura XR/XC, entregando uma Tiger melhor em todos os sentidos.

Fotos: Gustavo Epifânio

Eu estava bastante curioso para saber mais sobre o que havia mudado e para comprovar como essas mudanças se traduzem para a estrada e, principalmente, no off-road.

Esta versão Tiger 900 Rally Aragon é uma edição especial e comemorativa pela vitória de Ivan Cervantes no Rally Baja Aragon e, basicamente, trata-se de uma Rally Pro com cores e grafismos exclusivos, além do protetor de carenagens, porém, não conta com o aquecimento dos assentos.

LEIA MAIS:

Triumph Daytona 660: eis a nova esportiva tricilíndrica inglesa
Suzuki e Haojue registram alta nos emplacamentos em 2023
Confira 24 motos que podem surgir no Brasil em 2024

Motor da Tiger 900 

A Triumph Tiger 900 é uma nova máquina, mas a mudança mais aparente é o novo motor de 888 cm³, que tem um caráter completamente diferente graças ao novo virabrequim “T-plane”, que utiliza uma ordem de ignição 1-3-2, com os cilindros um e três explodindo mais próximos e o cilindro dois explodindo após uma pausa. Isso dá ao motor uma sensação completamente diferente, com mais força logo de cara. Ele gira forte e bem uniforme, com um ótimo aproveitamento do torque sempre de prontidão entre 2.500 rpm e 7.000 rpm. Enquanto o torque aumentou para 8,87 kgfm a 7.250 rpm, a potência máxima permanece a mesma com 95 cavalos a 8.750 rpm., ou seja, em vez de apenas aumentar a cilindrada e adicionar alguns cavalos extras, o novo motor oferece uma melhor experiência geral, melhorando o desempenho na faixa de rotações mais usada.

A Triumph ouviu os proprietários da Tiger 800 que reclamavam do difícil acesso da caixa do filtro de ar, que implica em desmontar as coberturas do radiador e do tanque, bem como o próprio tanque, mas agora o novo filtro de ar está localizado embaixo do assento. Você tem apenas que remover quatro parafusos que prendem nas coberturas inferiores do tanque e seis parafusos para liberar o filtro de ar da caixa, um processo que leva 10 minutos. Para quem utiliza a motocicleta em condições extremamente empoeiradas no ambiente off-road, este é um avanço muito importante porque você precisa verificar seu filtro de ar muito mais regularmente. 

Chassi da Triumph Tiger 900 

Uma das maiores reclamações sobre a Tiger 800 é que o sub-chassi e as pedaleiras da garupa são soldadas, e por isso não é possível remover as pedaleiras para rodar no ambiente off-road, e em caso de acidente é muito fácil danificar o chassi da moto. A nova Tiger 900 tem o sub-chassi traseiro removível, com quatro pontos de ancoragem da nova estrutura de treliça de aço e os suportes das pedaleiras da garupa também são removíveis, permitindo uma melhor amplitude de movimento para o piloto no ambiente off-road.

Freios e rodas da Tiger 900 

O sistema de freios da nova Tiger 900 utiliza pinças de quatro pistões Brembo Stylema na dianteira, que substituem as antigas Nissin. Os discos passam de 305 mm para 320 mm e agora há um cilindro mestre radial. No freio traseiro há uma pinça Brembo de pistão único em parceria com um disco de 255 mm. A frenagem melhorou drasticamente em relação à configuração anterior da Nissin, com uma mordida inicial forte e confortavelmente progressiva. 

O grande benefício para os pilotos off-road é que o pedal do freio traseiro das versões Rally possuem duas posições diferentes, então quando você está andando em pé nas pedaleiras você tem um alcance muito mais fácil para o pedal traseiro, e com uma sensação de frenagem aprimorada. As versões Rally agora vem equipadas com aros de raios cruzados para uso de pneus sem câmara de ar, um recurso não disponível nas Tiger 800 XC.

Fiquei desapontado com os pneus Bridgestone Battlax Adventure A41 que equipam a Tiger 900 Rally, pois eles são totalmente voltados para o asfalto. Já tive a oportunidade de testar uma Tiger 900 Rally equipada com pneus Michelin Anakee Wild num dia totalmente off-road, e eles ofereciam muito desempenho nas estradas, mas sua aderência off-road era muito superior em relação aos Bridgestone originais da moto, garantindo confiança extra na tocada. 

Suspensão da Tiger 900 

As novas Tiger 900 Rally e Rally Pro vem agora equipadas com uma suspensão Showa totalmente ajustável, em vez da suspensão WP encontrada nas variantes XC da Tiger 800. O garfo dianteiro agora tem 45 mm de diâmetro e conta com ajuste de pré-carga da mola, velocidade de compressão e de retorno. O amortecedor traseiro é ajustável na pré-carga da mola através de um registro manual e também na velocidade do retorno por um parafuso. O curso da suspensão para as versões Rally aumentou para 240 mm no garfo e 230 mm no amortecedor traseiro.

Tiger 900 e sua eletrônica 

No topo de linha Tiger, a Rally Pro vem equipada com uma tela TFT de sete polegadas com todas as opções eletrônicas disponíveis para esses modelos. O GT Pro recebe cinco modos de pilotagem, Road, Sport, Rain, Off-Road, Off-Road Pro e Rider. O modo Rider permite que você configure a moto de modo personalizado e salve suas opções preferidas. É importante observar que o ABS e o controle de tração só podem ser desligados no modo Off-Road Pro, que só está disponível na Rally Pro.

Cada um dos modos de condução ajusta a resposta e intervenção do acelerador a partir do ABS, controle de tração, ABS em curva e controle de tração em curva, sendo os dois últimos fornecidos por meio de uma nova Unidade de Medição Inercial Continental (IMU). A Tiger 900 Rally Pro vem equipada com manoplas aquecidas, sistema de monitoramento da pressão dos pneus e o Shift Assist Pro da Triumph, que permite trocas de marchas sem embreagem para cima e para baixo. O painel TFT conta com quatro layouts diferentes disponíveis e diversas cores de fundo.

Pilotando a Triumph Tiger 900 na estrada 

Saindo para o passeio, logo de cara o que se nota de diferente é o funcionamento do motor, um pouco mais áspero e com um ronco mais grosso. Engatei a primeira marcha, e ao arrancar você já nota o maior vigor da usina logo nas rotações iniciais, e ao enrolar o acelerador a resposta é muito mais nítida e forte, imediatamente perceptível, porém sem assustar. O ronco e a sensação de poder são impressionantes. Mas também percebi logo de cara que por volta das 6.500 rpm há uma leve vibração no guidão e no assento que continua até a faixa vermelha em torno de 10.000 rpm. No entanto, você navegará na estrada a 120 km/h em sexta marcha antes que isso se torne perceptível.

Nas estradas de bom asfalto a suspensão da Tiger 900 Rally Pro me parece muito macia, daí pensei em como seria no off-road. É importante lembrar que eu não havia feito nenhum ajuste nas configurações originais da suspensão. O tanque foi reestilizado em relação à Tiger 800 e permite um alcance mais confiável ao solo e é mais fácil e confortável de pilotar em pé. A Tiger 900 é uma das motos mais acessíveis e personalizáveis para pilotos de diferentes tamanhos.

A Triumph Tiger 900 no off-road

No off-road, a primeira coisa que notei foi o chassi que proporciona fácil manobrabilidade e agilidade do conjunto. A moto está drasticamente mais equilibrada para o ambiente off-road, onde senti ela mais grudada no chão e bem confiante na areia e pequenas pedras. Transpor altos desníveis foi bem fácil graças à melhoria da distância em relação ao solo, que veio por conta do cárter menor.

Eu preferi rodar no modo Off-Road Pro ao invés do modo Off-Road regular. O modo Off-Road permite algum deslizamento das rodas antes que o controle de tração seja acionado, ajudando os pilotos iniciantes a gerenciar sua experiência na pilotagem. Achei muito intrusivo para momentos em que você pilota na areia ou cascalho solto, por isso o modo Off-Road Pro é mais adequado para você realmente pilotar a Tiger 900 com todo o seu potencial off-road.

Preços 

A Triumph Tiger 900  Rally tem preço sugerido de R$ 71.590, a Tiger 900 Rally Pro R$ 78.990 e a Tiger 900 Rally Aragón Edition R$ 77.690. Para aqueles que realmente querem levar sua Tiger 900 para o ambiente off-road um pouco mais extremo, eu recomendo fortemente a Rally Pro e a Rally Aragón Edition sobre a Rally base por conta das configurações Off-Road Pro.

Conclusão 

Realmente acho extremamente importante ser honesto consigo mesmo sobre que tipo de pilotagem você vai enfrentar caso você esteja olhando para uma moto de aventura. A Tiger 900 GT Pro e a Rally Pro são duas máquinas muito diferentes, então se você sabe que vai rodar nas estradas por 90% do tempo, as GT ou GT Pro são a melhor escolha como uma moto de aventura esportiva.

Mas se você realmente vai enfrentar os desafios off-road, então as versões Rally Pro e Rally Aragón Edition são a melhor escolha. Eu estava bastante curioso antes de testar mais a fundo a nova Tiger 900 Rally para saber exatamente o quão melhor esta moto seria, e posso dizer que a nova Tiger 900 Rally simplesmente destrói a Tiger 800 em todos os quesitos. 

Deixe seu Comentário

Conteúdo Recomendado

Comentários

[Fancy_Facebook_Comments_Pro language="pt_BR"]