Card image
Notícias
Em decisão estratégica, Honda aposenta esportiva CBR 500R

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 05/04/2019
  • Atualizado: 05/04/2019 às 9:18
  • Por: Vinicius Piva

A Honda decidiu retirar de circulação no mercado brasileiro a CBR 500R, versão com apelo mais esportivo da família 500 da marca, formada também pela crossover CB 500X e a naked CB 500F. O trio foi lançado de uma só vez ainda em 2013.

De acordo com a marca, a decisão é puramente estratégica. O motivo da aposentadoria da 500R é que “ao longo dos últimos anos, observou-se uma tendência com o direcionamento do interesse em modelos esportivos se concentrando na linha de alta cilindrada com grande performance e tecnologia. Neste sentido, a estratégia da Honda será direcionada neste segmento aos modelos CBR 650F e CBR 1000RR Fireblade”.

Veja também:
Honda aposta na cor laranja para família CB 500
Honda pode lançar CBR 1000RR ainda em 2019
Marc Márquez fala sobre sua carreira em São Paulo

Honda, cor, laranja, família 500, CB 500F, CBR 500R, CB 500X, naked, esportiva, crossover, novas cores, motociclismo, moto, Motociclismo Online, Revista Motociclismo

Vale lembrar que em agosto do ano passado, quando a marca apresentou a linha 2019 da linha CB, a versão esportiva foi a única entre as três da família a não contar com a opção de cor laranja, principal novidade à época. A única cor disponível para o modelo era a vermelha.

Vendida até então por R$ 24.900, a bicilíndrica teve um desempenho discreto nas vendas em 2018. Foram vendidas durante todo o ano 654 unidades, desempenho inferior, inclusive, da CBR 650, que emplacou 841 no ano passado. Em comparação com os outros dois modelos da família, a esportiva também ficou com o desempemho bem atrás. A naked emplacou 2720 motocicletas, e a crossover, a mais bem-sucedida das três, vendeu 3284, ou seja, quase o triplo da esportiva.

As três motocicletas compartilham o mesmo propulsor bicilíndrico paralelo de 471 cm³ (DOHC) de arrefecimento líquido, que gera 50,4 cv de potência a 8.500 rpm e 4,45 kgm.f de torque a 7.000 rpm. Feitas sobre a mesma plataforma, as motos dividem também o chassi tipo diamante, construído com tubos de aço de 35 mm de diâmetro e utiliza o motor como elemento estrutural.