23YM HONDA EM1 e:
Honda

Honda planeja reduzir preço e alavancar vendas de motos elétricas

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 30/11/2023
  • Por: Willian Teixeira

A Honda anunciou planos para reduzir o custo das motos elétricas e reafirmou sua intenção de ter mais modelos para este segmento até o ano de 2030. Em coletiva de imprensa realizada no Japão na última quarta-feira (29), a marca relembrou vem investindo 100 bilhões de ienes para eletrificação de produtos entre 2021 e 2025, aporte que subirá para 400 bilhões entre 2026 e 2030, totalizando investimentos de 500 bilhões de ienes nesta década.

Além disso, a meta global de vendas anuais de motos elétricas até 2030 está em 4 milhões de unidades, um aumento de 500 mil unidades em relação a meta de 3,5 milhões de modelos eletrificados anunciada pela marca em 2021.

Motos elétricas da Honda (Foto: Arquivo)

Um dos frutos destes investimentos será a expansão no total de motos elétricas da Honda. Só em 2023, a marca começou a vender três modelos na Ásia, dentre eles o EM1 e, um pequenino scooter elétrico que também está disponível na Europa.

LEIA MAIS:

Shineray é campeã do Moto de Ouro entre as elétricas com a SHE-S
Honda fatura prêmios em seis categorias no 24º Moto de Ouro
Já parou para pensar na capacidade de subida da sua moto?

A fabricante pretende acelerar seus esforços, prometendo ter 30 modelos elétricos em seu line-up até 2030. Serão modelos de várias categorias, de bicicletas infantis a quadriciclos, motos off-road e até mesmo superesportivas. Para 2024, a marca da asa deve apresentar globalmente um modelo baseado no scooter SC e: Concept, exibido este ano no Japão Mobility Show.

Para 2030, os planos da Honda contemplam até 30 motos elétricas (Foto: Divulgação)

Também está nos planos da Honda disponibilizar mais conectividade para suas motos elétricas e reduzir o preço de aquisição. Para isso, a marca estuda mudar o tipo de bateria, o que poderia baratear os modelos em até 50%. Atualmente a marca aposta no sistema de baterias intercambiáveis (trocadas em estações), mas pode implementar mais alternativas, sendo uma delas a adoção de modelos plug-in (carregadas diretamente em tomadas residenciais).

Além disso também serão estudadas outras formas, como baterias com maior autonomia e melhorar a eficiência das compras e dos processos produtivos, como a adoção de fábricas totalmente dedicadas a modelos elétricos, o que deve ocorrer a partir de 2027.

Deixe seu Comentário

Conteúdo Recomendado

Comentários

[Fancy_Facebook_Comments_Pro language="pt_BR"]