moto usada
Especiais

Como escolher uma boa moto usada?

8 Minutos de leitura

  • Publicado: 12/02/2024
  • Por: Ismael Baubeta

A moto é muito mais do que um bem material. Na maioria das vezes, quem vai comprar uma moto não está apenas escolhendo um veículo para se locomover, ou seja, vai realizar um sonho: seja o de comprar sua primeira motocicleta ou trocar a sua usada por outra maior ou mais nova.

Se você está procurando uma moto nova e já viu algumas, deve ter se deparado com alguns “bambus” ou “fubás”, o que na gíria motociclística quer dizer motos ruins ou detonadas.

moto usada

As concessionárias e lojas especializadas costumam ser lugares onde se pode fazer bons negócios, afinal elas são obrigadas a dar garantia na venda e sempre entram motos como parte de pagamento. Nelas também é possível encontrar algumas motos seminovas dentro do período da garantia, o que é bom para quem está comprando a moto.

LEIA MAIS:

Honda PCX é a moto com menor desvalorização no Brasil em 2023
Produção de motos em janeiro é a melhor para o mês desde 2014
Confira as 20 motos mais emplacadas em janeiro

Mas nem todas as motos ruins aparentam sê-lo, por isso, se você está procurando comprar uma usada, tem que ficar atento a alguns detalhes que podem revelar muita coisa sobre a vida e manutenção da respectiva motocicleta.

Pensando em quem está querendo comprar uma moto usada listamos aqui alguns componentes que podem indicar mau uso, falta de manutenção ou sinais de que a moto passou pelas mãos de um mecânico incompetente.

Estado geral

A aparência é a primeira coisa que salta aos olhos, por isso a pintura das partes coloridas da moto deve estar bonita, brilhante. Além disso, os adesivos devem ser originais. Lembrem-se de que muitos adesivos podem esconder riscos e disfarçar amassados. A sujeira também ajuda a disfarçar defeitos e riscos.

A pintura do motor também pode mostrar que ele foi negligenciado e nas lavagens foram utilizados produtos agressivos, como solupan ou limpa baú, que atacam certos tipos de liga metálica e as deixa com aspecto opaco e esbranquiçado.

moto

As tampas laterais do motor também devem ter a cor da pintura homogênea com a do bloco, se não é bem provável que ela tenha sido pintada ou recuperada.

Pneus da moto

Pode parecer óbvio, mas deve-se olhar com atenção aos ressaltos nos íncavos (ou sulcos) dos pneus (o TWI), que é a referência que marca o desgaste máximo do pneu. Se o sulco estiver na mesma altura do TWI, é preciso substituir o pneu. Os pneus são um dos componentes mais caros na manutenção de uma moto.

Discos e pastilhas de freio

O sistema de freio também é um dos mais importantes componentes da motocicleta, por isso é necessário atenção redobrada em suas peças.

Observe se o disco de freio está riscado (como um disco de vinil). Se estiver, é sinal de que o proprietário da moto rodou com as pastilhas no talo e que o ferro das pastilhas desgastou o disco de freio.

moto

Diferente do que nos carros, onde é possível fazer uma retífica e aumentar a vida dos discos, nas motos, os discos têm espessura menor e não permitem esse procedimento.

Lembrem-se: disco riscado é sinônimo de menos eficiência nas frenagens, por isso, será necessária a substituição.

As pastilhas de freio também podem ser verificadas a olho nú. Basta olhar o disco de frente e verificar entre o disco e a pinça, a pastilha, que tem a massa (que está praticamente colada ao disco) e o metal onde vai acoplada. Se esse material tiver pelo menos 3 ou 4 mm de espessura, ainda há boa vida útil nessa pastilha.

moto

O ideal para verificar o fluido de freio é fazer um teste que mede a umidade que ele adquiriu, em geral o processo é feito em boas oficinas com uma espécie de caneta introduzida no reservatório que mede a porcentagem de humidade presente no fluido (ele também estraga com a moto parada).

Quando a moto tiver o visor do nível do fluido é possível conferir também sua cor, quanto mais turvo e escuro ele estiver, mais contaminado e menor eficácia do freio.

Suspensões da moto

As bengalas também podem mostrar se a manutenção está em dia ou se a moto foi negligenciada, sinalizando que houve falta de manutenção ou até mesmo que a moto foi batida.

Se elas estiverem meladas de óleo, é sinal de que o retentor está estourado e será necessário fazer a substituição da peça. Esse processo não é muito barato pois exige a desmontagem da frente da moto e a troca do óleo da suspensão.

moto

Caso as bengalas estejam riscadas, redobre a atenção, pois isso quer dizer que elas estão desalinhadas e, provavelmente, houve colisão ou queda forte.

O amortecedor também deve estar seco e não apresentar riscos na sua haste. Pode-se testá-lo comprimindo a suspensão traseira com as mãos com força tentar sentir se ele está segurando o movimento da mola. Se a suspensão subir muito rapidamente, que dizer que o amortecedor já não está com toda sua eficiência no funcionamento.

Relação corrente, coroa e pinhão

Outro componente fácil de verificar seu estado é a relação corrente, coroa e pinhão. Primeiramente veja o estado da coroa, seus dentes devem estar íntegros e não podem estar inclinados para a gente (esse é um sinal claro de desgaste).

A corrente não deve ter barriga na parte de baixo da balança e, se você puxá-la pela parte de trás da coroa, ela não deve deixar aparecer o rebaixo dos dentes da coroa. O pinhão geralmente está atrás do protetor, mas se a coroa ou a corrente estiverem desgastados, o pinhão também deve estar.

moto

Motor

O motor também costuma dar sinais de que pode estar casado ou com vazamentos. Dando a partida a frio você deve esperar que o óleo se espalhe pelo motor para que os possíveis ruídos metálicos sessem, caso eles persistam pode haver desgastes e folgas excessivas.

Outro indicador de problema no motor são marcas de óleo, geralmente eles são mais visíveis na base do cilindro e na junta do cabeçote. Para resolver esses vazamentos vai ser preciso abrir a respectiva parte do motor e verificar o porquê do vazamanento.

Parafusos do motor

As peças que estão em maior número e que mais aparecem por toda a moto são os parafusos e eles também “falam”. Veja, parafusos com marcas, riscados, com a cabeça espanada ou de diferentes tipos em uma mesma peça indicam que esse local foi acessado várias vezes (pode ser um problema recorrente), e que o mecânico não foi cuidadoso nem tem ferramentas adequadas. Isso também define que tipo de proprietário essa moto teve.

Eixo de roda

Em algumas motos as quedas podem ralar o eixo da roda, por isso, lembre-se de que se a porca do eixo estiver ralada é porque a moto já caiu e arrastou.

eixo de roda

Chicote e alarmes

A parte elétrica da moto também pode ser uma cilada se for problemática. Em quase todas as motos é possível ver ao menos uma parte do chicote ao tirar o banco. Faça isso e verifique se os fios estão presos com as presilhas originais e se não tem emendas aparentes. Também vale perguntar ao proprietário anterior se tem alarme ou já teve um instalado – às vezes as instalações desses equipamentos podem causar problemas elétricos.

Rolamentos de roda

Folgas excessivas nos rolamentos também são fáceis de detectar. Se a moto não tiver cavalete central, peça para alguém levantar a moto utilizando o descanso lateral como alavanca.

Com a roda dianteira levantada segure a roda com as duas mãos, uma mão na posição de 15 minutos do relógio e a outra na de 45 minutos. Então faça movimentos firmes, forçando uma das mãos para a gente e a outra para trás simultaneamente e veja se sente alguma folga. Repita o procedimento com a roda traseira; elas não devem apresentar folga nem barulho.

Caixa de direção

O rolamento da caixa de direção também dá sinais quando necessita ser trocado. Para sua verificação, com a roda dianteira levantada, como no teste do rolamento de roda, gire o guidão totalmente de um lado ao outro, esse movimento deve ser suave e “liso”, se você sentir algo raspando ou um “calo” no meio do caminho, é sinal de que o rolamento deve ser substituído. Esse procedimento, assim como a troca dos retentores de bengala, exige desmontar boa parte da frente da moto para a substituição do rolamento e não é dos mais baratos.

Documentação da moto

Outra importante dedicação do comprador é verificar a procedência do veículo e se está no nome do vendedor e não há comunicado de venda, informações que podem ser checadas no Detran de sua cidade.

Também é preciso levantar se há pendências legais, como multas, dívidas, bloqueio judicial, alienação ou impostos atrasados.

Os recalls também devem ser conferidos, pois eles podem estar relacionados a componentes que podem afetar a sua segurança, como sistema de freios e suspensões.

Comprar uma moto é fácil, mas fazer um bom negócio exige dedicação e muita atenção, mas caso você ache que é muito para você, peça a ajuda de em amigo motociclista experiente ou de um mecânico de confiança, isso vai ajudar você a encontrar uma boa moto!

Deixe seu Comentário

Conteúdo Recomendado

Comentários

[Fancy_Facebook_Comments_Pro language="pt_BR"]