Card image
Competições
MotoGP: 10 curiosidades da Ducati no GP da Catalunha

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 13/06/2019
  • Atualizado: 13/06/2019 às 15:09
  • Por: Willian Teixeira

Neste domingo, dia 16 de junho, será disputado o GP da Catalunha, em Montmeló, pela sétima etapa do Mundial de Motovelocidade. E essa prova proporciona boas lembranças para a Ducati. Foi lá que a equipe conquistou sua primeira vitória na MotoGP, em 2003, com o italiano Loris Capirossi.

A escuderia italiana também venceu essa etapa em 2017 e 2018, com os pilotos Andrea Dovizioso e Jorge Lorenzo, atualmente na Honda. Vamos mostrar algumas curiosidades sobre a Ducati e a etapa catalã. Confira:

Veja também:
Flagra: Ducati prepara sucessora da 959 Panigale
Dovizioso e Petrucci ganham novas Ducati em Mugello
MotoGP: 10 fatos sobre a Ducati no GP da Itália

Montmeló é um dos circuitos mais antigos do calendário da MotoGP, junto com Assen, Jerez e Mugello. A etapa catalã é disputada desde 1992, e terá sua 28ª edição em 2019.

Nova configuração da pista: o trecho que não era usado desde a morte de Luis Salom, em 2016, passou por reformas na área de escape e nas zebras e está de volta este ano.

O trecho mais travado do circuito está na região da curva 1, quando os pilotos reduzem suas velocidades de 340km/h para 100km/h em cerca de 5 segundos.

A primeira vitória da Ducati no GP da Catalunha foi conquistada pelo italiano Loris Capirossi. Até a atual temporada, a escuderia italiana obteve sete pódios em Montmeló.

Andrea Dovizioso

Andrea Dovizioso venceu a prova em 2017, após largar na sétima colocação e conquistar sua segunda vitória consecutiva naquela temporada. O italiano havia vencido o GP da Itália, em Mugello, a “casa da Ducati”.

Dovi também é o detentor do recorde de velocidade máxima no circuito de Montmeló, quando atingiu 348,8km/h na prova realizada em 2018.

MotoGP, Mundial de Motovelocidade, motos, motovelocidade, competições, Suzuki, Suzuki Ecstar, Montmeló, Catalunha, Espanha, Américas, Aprilia, GSX-RR, Andrea Iannone, Jorge Lorenzo, Honda, Ducati, Yamaha, Movistar, Repsol, Pramac, Avintia, motociclismo, Motociclismo Online, Revista Motociclismo, Tito Rabat, Cal Crutchlow, Valentino Rossi, Hafizh Syahrin, Johann Zarco, Danilo Petrucci, Dani Pedrosa, Maverick Viñales, Assen, corrida, Holanda, liderança, Áustria, Spielberg, Brno, República, Checa, Grã-Bretanha, Silverstone, Aragón, Espanha, Misano, Stefano Manzi, Romano Fenati, Forward Racing, Moto2, Marco Simoncelli, Marinelli Snipers Team, Eric Granado

Após chegar em 3º na etapa de Mugello, Andrea Dovizioso superou Randy Mamola e tornou-se o 11º piloto com mais pódios pela Ducati, com 55, apenas três atrás do compatriota Max Biaggi, atual 10º colocado.

Após seis etapas na temporada 2019, Dovizioso está a 12 pontos do atual líder, o espanhol Marc Márquez. Em relação à 2018, o italiano contabilizou 37 pontos a mais até o momento.

Com o triunfo em Mugello, Danilo Petrucci alcançou seu oitavo pódio na MotoGP, todos pela Ducati, tornando-se o 4º piloto com mais pódios pela fábrica Bordo Panigale, atrás de Casey Stoner (42), Andrea Dovizioso (32) e Loris Capirossi (23).

Ganhador do GP da Itália, em Mugello, Danilo Petrucci tornou-se o sétimo piloto a vencer uma prova pela equipe italiana, juntando-se a Loris Capirossi, Troy Bayliss, Casey Stoner, Andrea Iannone, Andrea Dovizioso e Jorge Lorenzo.