Moto Guzzi usa o Instagram para revelar a nova Stelvio
Especiais

Coluna do Raul: Europa e Brasil crescem dois dígitos!

3 Minutos de leitura

  • Publicado: 07/01/2024
  • Por: Willian Teixeira

Na primeira Coluna do Raul de 2024 você vai conferir que durante os primeiros nove meses de 2023, as vendas das motocicletas nos principais mercados europeus apresentaram um aumento de 11,8%, enquanto no Brasil o volume cresceu 19,7%

Os emplacamentos de motocicletas, nos cinco maiores mercados europeus (França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido) atingiram 873.985 unidades nesse período de 2023. Isso representa um aumento de aproximadamente 11,8% em comparação com os três trimestres de 2022, que fechou com 781.839 motos registradas.

O volume de vendas de motos no ano aumentou significativamente na Itália (271.552 unidades, 19,4% a mais) e na Espanha (154.019 unidades, 13,4%), com tendência de alta na Alemanha (190.490 unidades, crescendo 9,6%) e França (168.118 unidades, 8,7%).

No caso do reino Unido, os dados permaneceram praticamente iguais (89.806 unidades, queda de 0,4%). Ao analisarmos os números dos ciclomotores, estes atingiram um volume total de 155.098 unidades nos seis maiores mercados europeus, ou seja, Bélgica, França, Alemanha, Itália, Países Baixos e Espanha. Esses registros de licenciamentos representam uma redução de 25% em relação ao ano passado (206.927 unidades). A redução é generalizada em todos os países citados acima, embora tenha caído menos na Bélgica (2,7%) e na Espanha (2,8%).

LEIA MAIS:

Veja as 20 motos mais vendidas no Brasil em 2023
Disponíveis no Brasil, triciclos Piaggio levam até 500kg de carga
MOTOCICLISMO Motocatálogo 2024 chega às bancas digitais – download grátis!

Os analistas de mercado europeu destacam que o forte crescimento das vendas no período revela o interesse sustentado a longo prazo dos consumidores em veículos motorizados de duas rodas, tanto para deslocamentos diários como para lazer.

Moto Guzzi usa o Instagram para revelar a nova Stelvio

Fazendo uma analogia com o Brasil, no acumulado do ano até setembro foram emplacadas 1.180.981 motocicletas, número 19,7% superior na comparação com o mesmo período do ano passado (986.250 unidades). Mesmo com o grande crescimento europeu, o Brasil obteve um resultado ainda melhor, inclusive os números absolutos de vendas de motos por aqui são maiores que os dos cinco principais países europeus somados. Mesmo se somarmos os dados dos ciclomotores, o Brasil ainda continua na frente. Isso demonstra a força do mercado nacional frente a União Europeia.

Voltando a citar o Brasil, em setembro, foram licenciadas 135.056 motocicletas, volume 9,2% superior ao mesmo mês do ano passado (123.641 unidades). Na comparação com agosto, no entanto, houve recuo de 5,4% (142.770 motocicletas). Segundo dados da Abraciclo, esse foi o melhor desempenho alcançado para o mês desde 2011.

Naquele ano, as vendas totalizaram 174.487 unidades. Essa tendência demonstra que estamos retornando aos níveis de recorde de vendas, quando comercializamos quase 2 milhões de motos, em 2011. A venda de motocicletas no Brasil em 2011 superou o nível de 2008, o melhor ano para a indústria brasileira até então, tornando-se o recorde com 1.940.564 unidades emplacadas, segundo os dados da Fenabrave. Certamente isso não deverá ocorrer em 2023, porém, se a economia seguir em alta, podemos voltar a esse patamar em dois ou três anos!

Raul Fernandes Jr. é especialista em mercado de motocicletas, presidente da AssoRoyal (Associação dos Revendedores Royal Enfield do Brasil), sócio do Grupo 2W Motors e ex-diretor de redação da revista MOTOCICLISMO Brasil.

Deixe seu Comentário

Conteúdo Recomendado

Comentários

[Fancy_Facebook_Comments_Pro language="pt_BR"]