Card image
Competições
MotoGP vai ter etapa na Indonésia em 2021

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 25/02/2019
  • Atualizado: 25/02/2019 às 16:15
  • Por: Carlos Bazela

A Dorna Sports, organizadora do Mundial de Motovelocidade e do Mundial de Superbike, anunciou que as duas competições irão receber uma etapa realizada na Indonésia, mais especificamente na Ilha de Lombok, que entrará nos calendários das temporadas em 2021.

O acordo para a realização das provas foi assinado por Carmelo Ezpeleta, CEO da Dorna, e Abdulbar M. Mansoer, CEO do ITDC. O ITDC, segundo o site oficial da MotoGP, é o maior operador de turismo da Indonésia e a escolha da Ilha de Lombok, no Estado da Mandalika, também foi feita justamente pelo alto potencial turístico da região.

Circuito na Ilha de Lombok, na Tailândia, que irá receber a MotoGP em 2021

Veja também:
Prefeitura do Rio adia licitação para autódromo
Mundial de Motovelocidade pode voltar ao Brasil em 2021
Circuito finlandês que vai receber MotoGP está quase pronto

Entretanto, um dos pontos mais interessantes dessa história é que, pelo que disse o chefão da Dorna, será um circuito de rua. “Que projeto único nós teremos! Ter um circuito urbano de classe mundial em um país onde a MotoGP tem tantos seguidores. A Indonésia é um mercado chave para nós. Além disso, incluir o Lombok no calendário do Mundial de Superbike torna esta oferta mais atraente para os fãs locais que terão dois eventos de classe mundial durante o ano”, comentou Carmelo Ezpeleta.

O veterano Valentino Rossi da Yamaha em uma curva com sua M1

O mesmo entusiasmo é partilhado pelo CEO do ITDC. “Nós estamos muito empolgados com a parceria que firrmamos com a Dorna e encantados em trazer eventos de classe mundial do esporte a motor para a Indonésia, bem como Mandalika e Lombok”, afirmou Abdulbar M. Mansoer.

Nos próximos anos, o Mundial de Motovelocidade deverá ter pelo menos mais duas etapas. Esta, da Indonésia e também a da Finlândia, no circuito de KymiRing, cuja previsão anterior para ficar pronto era já para esta temporada. Depois de pronto, o autódromo localizado a 110 quilômetros da capital Helsinque, terá 4,6 km de extensão e as corridas deverão ser disputadas no sentido horário.

Andrea Divizioso pilota a nova Ducati Desmosedici GP

Já no Brasil, ainda há esperança para a volta do Mundial de Motovelocidade para o Rio de Janeiro em um novo autódromo que deverá ser construído em Deodoro. Mas, divergências entre os poderes público, privado e ambientalistas ainda deixam em dúvida o retorno da MotoGP para cá em um futuro próximo.

Fotos: Honda, Yamaha, Ducati e reprodução MotoGP.com

Marc Marquez, da Honda, e sua moto