Card image
Testes
Conheça em detalhes a versátil XRE 190 da Honda

7 Minutos de leitura

  • Publicado: 09/09/2016
  • Atualizado: 09/09/2016 às 19:09
  • Por: admin

<p><strong>Para suprir uma demanda comercial,</strong> a Honda supreendeu ao revelar a XRE 190, <strong>trail inspirada no que a XRE 300 tem de melhor</strong> e com o diferencial do ABS.<span style="line-height: 1.6em;"> Isso mesmo, XRE! A nova motocicleta, que chegou em versão única nas cores vermelho, verde ou preto (perolizados), foi apresentada como “trail urbana, ideal para as cidades brasileiras” e tem um propósito muito simples.</span></p>

<p><img alt="Honda XRE 190" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo.honda_.xre_.190_.2016_.0__620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>A Honda apurou que os usuários da Bros 160 não tinham tanta facilidade para trocar a pequena trail pela XRE 300, uma melhoria ‘natural’ dentro da linha trail da marca. O motivo: a diferença de preço entre elas é grande. </p>

<p><strong>Para deixar isso claro</strong><br />
<span style="line-height: 1.6em;">A Bros 160 ESDD — com freio a disco na roda traseira —, custa R$ 11.257, a XRE 300, R$ 15.560, que representa </span><strong style="line-height: 1.6em;">um acréscimo de R$ 4.303.</strong><span style="line-height: 1.6em;"> Se o dono da Bros 160 tiver interesse na versão Rally, com C-ABS, </span><strong style="line-height: 1.6em;">a diferença sobe para R$ 6.493</strong><span style="line-height: 1.6em;">! </span></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Custando R$ 13.300, <strong>a XRE 190 diminui esse ‘abismo’ para R$ 2.043, </strong>uma diferença de 18,1%, tornando<strong> mais natural e fácil a evolução do usuário da Bros 160 dentro da linha Honda</strong>. Todos os preços citados aqui são os divulgados pela marca (base: 09/2016) sem frete e sem seguro. Consulte a concessionária mais próxima para ter o preço exato e atualizado.</span></p>

<p><img alt="Super Bros? Nada disso! Apesar do desempenho próximo, ela tem identidade própria, oferecendo mais ao motociclista" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/honda_xre_190_trail_motociclismo_2_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>A XRE 190 tem visual mais encorpado, com destaque para a frente, que ficou linda! As linhas do farol lembram a CB 500F e o ‘bico’ incorporado a ele também agrada. Design é questão de gosto, sabemos disso, mas dificilmente veremos críticas sobre o seu visual. A Honda caprichou!</p>

<p><strong>O grande diferencial é o ABS de série.</strong> Desenvolvido pela Nissin, é de um canal e atua apenas na roda dianteira de 19”, de aço, na cor cromo escuro. Na roda traseira, de 17”, o eficiente freio a disco é de série. Mas como funciona? </p>

<p><img alt="Ilustração mostra o sistema ABS da XRE 190" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo.xre_.190__620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>Um sensor de velocidade está na roda dianteira, e o outro sensor, que estaria na roda traseira, para medir a diferença de velocidade das duas rodas e calcular a modulação ideal da pressão do fluido de freio para as pinças, está no câmbio. <strong>Esse sistema funciona bem e faz com que o custo seja mais acessível. </strong><span style="line-height: 1.6em;">Veremos mais motocicletas usando esse sistema de canal único em breve. Temos certeza disso.</span></p>

<blockquote>
<p><span style="line-height: 1.6em;">“Pelo volume de vendas, este é o lançamento mais importante do ano”</span></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;"> Alexandre Cury, gerente comercial da Honda</span></p>

<p> </p>
</blockquote>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Os punhos seguem o novo padrão da marca — e reparamos a falta do lampejador do farol, item que consideramos de segurança. O tanque tem tampa fixa e capacidade de 13,5 litros, inclusos 3,1 litros da reserva. O conjunto é bem harmonioso e com ótimo acabamento.</span></p>

<p><img alt="O tanque é mais encorpado que na Bros 160 e a tampa de combustível é fixa, mais prática e bonita" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/honda_xre_190_trail_motociclismo_8_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>A Honda afirmou que o foco no desenvolvimento da XRE 190 foi <strong>ser uma moto confortável, segura e fácil de pilotar.</strong> Em resumo, ela traz o DNA Honda.  A marca apontou também os potenciais clientes da XRE 190: usuários das motos 150 e 160 cm³ da própria Honda e de outras marcas. Para quem procura a primeira moto, podemos afirmar que ela atende perfeitamente.  </p>

<p>Assim como as demais motos de baixa cilindrada da Honda, a XRE 190 tem três anos de garantia, com troca de óleo gratuita em sete revisões.</p>

<p><img alt="Você queria uma frente nova na XRE 300? Nós também. Parece que a Honda guardou ela para a XRE 190. Linda! " height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/honda_xre_190_trail_motociclismo_7_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><strong style="line-height: 1.6em;">Eficiência e requinte, focos do projeto</strong><br />
<span style="line-height: 1.6em;">A XRE 190 é uma grata surpresa, pois, em qualquer ponto dela, seu olhar vai encontrar acabamento de alto nível, somado ao design moderno e muito bem resolvido. O motor se parece com o 160 da Bros, mas na verdade foi apenas projetado com essa aparência na mesma época. </span></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Ou seja, é um erro afirmar que ele “é um 160  aumentado”. As tampas laterais pintadas de grafite mostram a preocupação do HRB (Honda Research Brazil), departamento da marca que desenvolve todos os produtos duas rodas e seus detalhes. A Honda declarou que em testes realizados pelo Instituto Mauá, ela foi mais econômica que a Bros 160, com média próxima de 38 km/l. </span></p>

<p><img alt="Assim como a XRE 190, seu painel é inédito e rico em informações, mas faltou o indicador de marcha…" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/honda_xre_190_trail_motociclismo_4_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p>O painel digital é inédito e quase completo: <strong>faltou o indicador de marcha</strong>, mas tem relógio fixo, conta-giros, hodômetros total e parcial e informações de consumo instantâneo e médio. Diferencial que ajuda a buscar médias mais baixas e economia no orçamento. Outro destaque é o ABS na roda dianteira, desenvolvido pela Nissin.</p>

<p>A legislação não exige ABS nesta faixa de cilindrada, porém a Honda concluiu que o freio combinado (CBS) não daria tanta segurança na terra. Como a moto é leve (127 kg de peso seco), o ABS só na frente já garante a segurança nas frenagens. </p>

<p><strong>Primeiras impressões</strong><br />
Em um dia ensolarado, no circuito do Haras Tuiuti, no interior de São Paulo, tivemos a oportunidade de extrair as primeiras impressões sobre a XRE 190. Com 836 mm de altura do assento, ao subir nela, sentimos como se ela tivesse sido feita sob medida.</p>

<p>Com guidão alto, a posição de pilotagem é ereta, bem natural e confortável, para rodar muitos quilômetros diariamente, sem cansar. </p>

<p><img alt="Pensada para preencher uma lacuna na linha trail da Honda, a XRE 190 chegou com um conjunto acertado, com ótimo acabamento e a segurança extra do ABS" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/motociclismo_honda_xre_190_trail_20161_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p> No asfalto (quase perfeito) do circuito, a moto respondeu bem, mostrando que o pouco que falta de desempenho na Bros 160 (para os motociclistas mais exigentes) a XRE 190 tem, mas sem sobra, como na XRE 300. Na reta principal do circuito, buscamos a velocidade máxima, e, apesar do conjunto encorpado, o desempenho é racional.</p>

<p>A Honda declara potência de 16,3 cv a 8 500 rpm com torque de 1,65 kgf.m a 6 000 rpm, quando abastecida com gasolina, e 16,4 cv a 8 500 rpm e torque de 1,66 kgf.m a 6 000 rpm  com etanol. Em um teste posterior poderemos afirmar com mais precisão sobre seu rendimento.</p>

<p><strong>A ciclística é bem acertada e os pneus mistos Pirelli MT60 funcionam muito bem</strong>, permitindo algum abuso nas inclinações em curvas de diferentes ângulos, <strong>com estabilidade e segurança</strong>. Aproveitamos o ambiente controlado para realizar várias frenagens emergenciais e avaliar a eficiência do inédito freio ABS com ação apenas na roda dianteira.</p>

<p>Realmente, ele tem uma eficiência que supreende. Por maiores que fossem a velocidade e a força aplicada, a moto se manteve estável e sem travar a roda traseira. Aprovado!</p>

<p><img alt="O conjunto ficou bem atrativo. Apesar do nome XRE, tudo é inédito!" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/honda_xre_190_trail_motociclismo_5_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><span style="line-height: 1.6em;">Zeramos o hodômetro parcial do moderno painel no início do test-ride para saber qual seria a média de consumo. Buscando os limites da moto, terminamos o primeiro contato com uma média de 32 km/l, abastecida com gasolina. Na cidade, com seus limites de velocidade baixos, o consumo será menor.</span></p>

<p>Com o paralama baixo e o aro 19” na dianteira, o projeto não é totalmente off-road — como motos com paralama alto e roda de 21” na frente —, mas desde o momento em que ela foi revelada, sabíamos que muitos usuários vão sim se aventurar com ela nas estradas e trilhas do Brasil.</p>

<p>Por isso, queriamos saber como é acelerar ela nessa condição. Em um pequeno roteiro por uma estrada vicinal, com muitas pedras soltas, ela mostrou que as suspensões são bem calibradas e que dá sim para rodar no fora de estrada com segurança. Novamente, realizamos frenagens para testar o ABS e a eficiência se manteve. </p>

<p><img alt="Apesar do paralama baixo e da roda dianteira de 19”, a XRE 190 permite aventuras com segurança quando acaba o asfalto" height="467" src="http://carroonline.terra.com.br//motociclismoonline/staticcontent/images/uploads/honda_xre_190_trail_motociclismo_3_620x467.jpg" style="margin:0 auto; display:block;" width="620" /></p>

<p><strong>Como fica o mercado com a XRE 190?</strong><br />
Quem tem uma Bros 160 (ou 150) vai ficar satisfeito com a inédita XRE. Quem tem interesse ou já possui a Yamaha Crosser 150 poderá migrar para a XRE, pelo estilo e comportamento que se assemelham, além da segurança extra do ABS.</p>

<p>A Honda precisa trabalhar na divulgação da eficiência do ABS, pois este é o motivo do seu preço final (na concessionária) estar próximo ao da Yamaha XTZ 250 Lander. <span style="line-height: 1.6em;">A XRE 190 tem tudo para ser um sucesso da Honda, mas ainda esperamos por uma trail 250 com chassi leve, derivada da CB Twister…</span></p>

<p><strong>Ficha Técnica</strong><br />
Motor monocilíndrico, flex, arrefecido a ar <br />
OHC  I  2 válvulas  I  câmbio de 5 velocidades<br />
Cilindrada: 184,4 cm³ <br />
Potência máxima: 16,4 cv a 8 500 rpm (com etanol)<br />
Torque máximo: 1,66 kgf.m a 6 000 rpm (com etanol) <br />
Diâmetro x curso do pistão: 61 mm x 63,1 mm <br />
Taxa de compressão: 9,5:1 <br />
Quadro: Berço semiduplo de aço<br />
Cáster: 27° 45’ <br />
Trail: 103 mm <br />
Suspensão dianteira: Garfo telescópico com 160 mm de curso, sem ajustes <br />
Suspensão traseira: Monoamortecedor com curso de 150 mm, sem ajustes <br />
Freio dianteiro: Disco de 240 mm, pinça de 2 pistões (ABS) <br />
Freio traseiro: <span style="line-height: 1.6em;">Disco de 220 mm, </span><span style="line-height: 1.6em;">pinça de 1 pistão</span><br />
<span style="line-height: 1.6em;">Modelo do pneu: </span><span style="line-height: 1.6em;">Pirelli MT60 (pode ser fornecida também com o</span><span style="line-height: 1.6em;"> Levorin Dual Sport) </span><br />
<span style="line-height: 1.6em;">Roda dianteira: 90/90 – 19" <br />
Roda traseira: 110/90 – 17"<br />
<strong>Medidas </strong><br />
Comprimento: 2 075 mm<br />
Largura: 821 mm <br />
Altura do assento: 836 mm<br />
Entre-eixos: 1 358 mm <br />
Tanque: 13,5 litros<br />
Peso seco: 127 kg</span></p>