Card image
Notícias
Royal Enfield anuncia investimento de US$ 100 milhões até 2020

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 04/04/2019
  • Atualizado: 04/04/2019 às 18:04
  • Por: Marcelo Barros

Além da mudança importante na diretoria da matriz da Royal Enfield, na Índia, com Vinod Dasari assumindo o cargo de CEO da marca, que era antes de Siddartha Lal, a marca aproveitou para o início do novo ano fiscal para outro anuncio importante.

A Royal Enfield realizará investimentos de US$ 100 milhões durante o ano fiscal de 2019-2020 – que começou em 1º de abril de 2019. Essa quantia na moeda brasileira seria equivalente a R$ 385.510.000! A estratégia dos indianos responsáveis pela Royal Enfield é expandir. Os recursos vão para a segunda fase de construção da fábrica de Vallam Vadagal, na Índia, e a finalização da construção do Centro Tecnológico de Chennai, que irá trabalhar em conjunto com o Centro Tecnológico do Reino Unido, o que potencializará o desenvolvimento de novos produtos, para atender às regulamentações futuras e expandir o portfólio para os mercados globais.

 Veja também:
Royal Enfield Himalayan é trail com personalidade
Saiba tudo sobre as irmãs 650 da Royal Enfield
Royal Enfield inaugura concessionária em Brasília

“A Royal Enfield se concentrará na próxima transição de normas de emissão Bharat Stage VI, além de fortalecer sua capacidade de desenvolvimento de novos produtos e plataformas globais”, observa Siddhartha Lal, diretor geral e CEO da Eicher Motors Ltd, grupo que controla a marca Royal Enfield. A fábrica de Vallam Vadagal iniciou sua produção em agosto de 2017 e sua segunda fase de construção fornecerá uma capacidade produtiva ainda maior. “A construção está progredindo muito bem e a previsão é que o início da operação seja no segundo semestre deste ano fiscal. A finalização do Centro de Tecnologia em Chennai também está próxima”, acrescenta.

Para este ano fiscal está previsto também atingir a capacidade de produção anual de 950.000 unidades. Como curiosidade, em outubro de 2018, no lançamento mundial das bicilíndricas Interceptor e Continental GT 650 a marca trabalhava com a expectativa de atingir um milhão de motos fabricadas.

A marca também planeja com esse investimento abrir duas subsidiárias para crescer no Sudeste Asiático: uma na Indonésia e uma na Tailândia, ainda em 2019. O objetivo é fortalecer ainda mais a presença da marca e impulsionar as atividades de desenvolvimento em ambos os mercados. A região tem cultura do motociclismo difundida e as motocicletas da marca tiveram boa receptividade nos dois anos em que já atua. Os dois países se juntarão a EUA e Brasil, que já contam com subsidiárias da Royal Enfield desde 2015 e 2017, respectivamente.

Alguém ainda dúvida do potencial de crescimento da Royal Enfield?