Card image
Notícias
Com uma Voxan elétrica, Max Biaggi quer bater recorde de velocidade

2 Minutos de leitura

  • Publicado: 10/04/2019
  • Atualizado: 10/04/2019 às 12:53
  • Por: Vinicius Piva

A Voxan, que atua no setor de mobilidade elétrica, vai em busca de estabelecer um novo recorde mundial. O desafio é romper a marca de 330 km/h com a motocicleta Voxan Wattman, em Uyuni, na Bolívia, em 2020, na categoria “motocicletas elétricas movidas pela ação de uma roda em contato com o solo, parcialmente aerodinâmica, abaixo de 300 kg”.

O piloto escalado para tentar o feito é ninguém menos do que o campeão mundial Max Biaggi, embaixador da marca que, inclusive, já tem experiência no assunto. Em 1994, Biaggi estabeleceu o recorde mundial de velocidade terrestre de 164,198 km/h com uma Fazi Egraf na mesma categoria. Hoje, o recorde pertence a Jim Hoogerhyde que, a bordo de uma SB220 Lightning, registrou 327,608 km/h no ano de 2013.

Veja também:
Triumph pode trazer Trident de volta como elétrica
Zero revela a streetfighter elétrica SR/F
Harley-Davidson confirma preço da LiveWire

“Sempre adorei um desafio. Quando meu amigo Gildo Pastor veio até mim com seu plano para o recorde mundial de velocidade terrestre com a Voxan Wattman, eu obviamente disse sim. Gildo é especialista e pioneiro no campo. Com seu ímpeto, a Venturi estabeleceu uma série de recordes e marcou uma série de novidades no mundo. Estou orgulhoso de estar dando esse novo passo em minha carreira com a Voxan e a Venturi”, comentou Biaggi.

A Voxan Wattman, primeira motocicleta elétrica produzida em Mônaco, é oriunda da versão on-road, e projetada por Sacha Lakic. A equipe envolvida no projeto é a mesma que está por trás do Venturi VFE-05, carro com o qual a marca compete no Campeonato Mundial de Fórmula E 2018-2019. Também participam do movimento membros da Universidade de Ohio, que já estiveram envolvidos em desafios dessa magnitude.

“Em uma motocicleta, muito mais do que em qualquer outra máquina, o piloto e a motocicleta são um só. O esboço da Wattman é vigoroso, fluido e minimalista, como se cada elemento fosse esculpido pelo vento. Com Gildo no comando da equipe técnica e Max no guidão, não tenho dúvidas sobre o resultado desta grande aventura que está prestes a começar”, falou Lakic, designer da Voxan Wattman.

A iniciativa faz parte das comemorações de 20 anos do início das atividades da Venturi no segmento de elétricos. Quando comprou a Voxan, em 2010, Gildo Pastor levou a marca para o caminho da mobilidade elétrica, assim como fizera com a Venturi em 2000.

“Conheço Max há 15 anos, e compartilhamos os mesmos valores e paixões. É uma honra confiar a Voxan Wattman a um piloto que deixou a sua marca na história das corridas de motos para participar desta aventura ambiciosa e, talvez, escrever os nomes de Venturi e Voxan na história. Tinha de ser Max! Alcançar 330 km/h representa um enorme desafio para uma motocicleta nesta categoria, mas estou muito confiante. Minha fé na eletromobilidade de alto desempenho não diminuiu em 20 anos”, diz Gildo Pastor, presidente da Venturi e da Voxan.