Yamaha Factor 150 UBS, mais completa com novo freio

Autor: Marcelo Barros


A Yamaha Factor 150 surgiu em outubro de 2015 como uma alternativa mais acessível à requintada Fazer 150. Econômica, tem conjunto acertado, funciona bem no dia a dia e é a Yamaha mais vendida do Brasil. Segundo a Fenabrave, é a única moto da marca que em alguns meses briga entre as dez primeiras no ranking geral. Agora, ela ganhou um reforço importante para conquistar mais motociclistas: o sistema de freio unificado, ou apenas UBS (Unified Brake System).

Projetada para uso urbano, tem o útil lampejador do farol no punho direito para uma sinalização mais segura no trânsito — mas falta o corta-corrente. A posição de pilotagem é ergonômica e o assento confortável para piloto e passageiro. O motor de 149,3 cm³ com injeção flex rendeu 10,98 cv de potência no dinamômetro com gasolina e garante acelerações e retomadas dentro da necessidade na cidade. Na estrada, velocidade máxima de 120 km/h a 8 000 rpm. Racional.

Toda 150 tem a “obrigação” de ser ágil, mas, graças aos Metzeler ME Street, a Factor tem ainda mais facilidade para inclinar. Para quem fez a lição de casa (leia-se “curso de pilotagem”), ela é garantia de diversão nas curvas pelo caminho e prazer na pilotagem. A suspensão traseira é confortável, mas não é tão eficiente quanto a da rival Honda CG 160. Seu acertado conjunto merece uma calibragem mais alinhada ao “mundo real” que temos nas cidades recheadas de irregularidades em suas vias — infelizmente.Esse é o grande porém dessa moto, mas que muito motociclista nem irá notar se não exigir bastante dos amortecedores traseiros. 

Sobre o freio UBS, o benefício desse sistema — que já equipa Fazer 150 e Neo 125 — é garantir frenagens mais eficientes e controladas, dando maior segurança ao motociclista em situação emergencial. O preço sugerido da nova Factor 150 UBS é de R$ 8 890 (sem frete). Em comparação à extinta Factor 150 ED sem o sistema, houve um acréscimo de R$ 400 no preço final. Pelo ganho no quesito segurança com a ação unificada dos freios, uma diferença que vale a pena pagar.

Quando o motociclista aciona o freio traseiro, o sistema aciona também o freio dianteiro (cerca de 30% de sua capacidade), garantindo uma frenagem próxima do ideal e reduzindo o espaço necessário para parar a moto em comparação a uma frenagem usando apenas com o freio traseiro, erro que muitos usuários ainda cometem. Durante o teste alternamos as frenagens entre a correta (usando o freio dianteiro e o traseiro juntos) e apenas com o traseiro. A grande diferença com o UBS é que para travar a roda traseira é necessário aplicar muita força no pedal. Na maioria das frenagens, mesmo as mais fortes, o sistema unificado garantiu maior poder de frenagem e estabilidade da moto nessa situação.

Em julho de 2016, a Yamaha fez a primeira edição do “Rally da Economia”, quando donos da Factor 150 disputaram qual rodaria a maior distância com um litro de gasolina. O vencedor conseguiu a impressionante marca de 79 km/l!
Obviamente, como o desafio focava o consumo, os motociclistas andaram no percurso na menor velocidade possível.

Na nossa avaliação, fizemos duas medições de consumo com 100% gasolina. Uma econômica, de olho no indicador ECO do completo painel (que indica pilotagem econômica), sem garupa e sem andar na estrada, a qual rendeu 48 km/l, e outra no limite de velocidade das vias, com garupa, misto de cidade e estrada, perfazendo 34,4 km/l. Na nossa “pior” marca, a autonomia da Factor, com tanque de 16 litros, ficou em 550 km. Daria para ir de São Paulo (SP) até Curitiba (PR) e conhecer os pontos turísticos da bela capital do Paraná sem abastecer!Com etanol, naturalmente um consumo maior, com 31,7 km/l (23% menos rendimento em comparação ao consumo médio com gasolina). Mesmo assim, uma marca que atesta a Factor 150 como uma moto econômica. 

Dois acessórios que indicamos para a Factor 150 são o cavalete central e o peso do guidão, ambos de série da Fazer 150. A Factor 150 tem duas versões, mas recomendamos a UBS, por um motivo simples: o freio a disco com ação unificada. A versão E custa R$ 1 000 a menos e tem freio a tambor e rodas raiadas. Assim como as Honda, ela tem três anos de garantia. Uma interessante opção para iniciantes ou para quem quer uma moto para rodar muito e gastar pouco.

Conclusão

A Factor 150 já é a Yamaha mais vendida do Brasil. Preço, agilidade, robustez e baixo custo de manutenção são características que a credenciaram para isso. Com a melhoria nos freios pelo UBS, aliada ao ótimo pneu, oferece mais segurança e irá atrair mais motociclistas, seja como primeira moto da vida, seja como opção para o dia a dia, enquanto a moto maior fica aguardando o fim de semana. Com desempenho adequado e melhores freios, ficou faltando apenas uma melhor calibragem da suspensão traseira, para absorver mais as irregularidades das ruas brasileiras. Detalhe para pensar, dona Yamaha.

Fotos: Gustavo Epifanio


Comentários