Responsive Menu
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Moto clube Balaios celebra quase meio século em duas rodas

Autor: Carlos Bazela


Na última terça-feira, o Espaço Motociclismo, que acontece dentro do AutoShow Collection encerrou sua primeira temporada com uma grande festa. E, além da final do festival Motor Music, o local também teve a honra de sediar a festa de aniversário e celebração de fim de ano do Balaios MC, cuja história se entrelaça com a própria tradição dos moto clubes no País.

O Balaios MC foi Fundado em 15 de Setembro de 1969, na cidade do Rio de Janeiro (RJ) e já fundamentado nas “Normas Internacionais” dos Moto Clubes, se tornando o primeiro moto clube neste padrão no Brasil. Entre suas características está o uso de motocicletas Harley-Davidson por seus membros consideradas como um dos cartões de visita do clube.

Tudo começou na oficina do “Mister”, onde o clube se instalou na saudosa sede da Rua Viúva Lacerda, de propriedade de Blint Bob, onde se consolidou e cresceu, colocando em prática sua essência e sua oficina de Harleys para atender aos irmãos. Na época, as dificuldades da época eram imensas para edificar a agremiação e até mesmo modificar motociclietas para o estilo chopper era algo complexo desde a obtenção de peças. Blint Bob, então, oferecia então um modelo de solidariedade que permitiu construir uma forte coesão entre esses membros pioneiros – além das motos.

Pouco a pouco, esta Organização foi se transformando em uma estrutura sofisticada, que permitiu ao Clube realizar as primeiras viagens pelo Brasil afora, tornando-o conhecido fora do Rio de Janeiro. Ao grupo original se juntaram novos membros, que vieram nestes primeiros anos a constituir os ideais que continuam prevalecendo até os dias atuais. São elas: Fraternidade, Solidariedade e Respeito; e assim se estruturou e se fortaleceu em todo o País.

“O que nos motiva é o espírito de Fraternidade, Solidariedade e Respeito. Compartilhamos essa ideologia com irmãos de outros Estados e observamos que, além de Motociclistas, somos uma grande Família unida e o Clube é a nossa vida, ou seja, o coletivo sempre prevalece em relação ao individual”, comenta Blint Bob.

O nome Balaios

Para batizar o clube, os fundadores se inspiraram na nossa história. “Fomos buscar mesmo na história do Brasil. E achamos o movimento das Balaiadas, de 1838, precursor do cangaço e que expressava muito bem o espírito revolucionário dos Fundadores em 1969”, comenta Bob. A Balaiada, também chamada de Guerra dos Bem-te-vis, foi travada no Maranhão entre 1838 e 1841 por pessoas pobres, como escravos e os chamados balaios, em sua maioria artesãos, lavradores e vaqueiros, contra os ricos proprietários de terras que subiram ao poder após a independência do Brasil.

No brasão do moto clube está a figura do cangaceiro, que veio em homenagem à Manoel Francisco dos Anjos Ferreira, o Manuel Balaio, um dos mais importantes líderes da Balaiada. A história se divide quanto às razões que o fizeram ir às armas e enquanto algumas fontes dizem que foi por vingança em nome de suas filhas, violentadas por um alferes, outras dão conta de que Ferreira lutou por conta do recrutamento forçado de seus filhos, mas ambas deixam clara a crueldade dos ataques do bando do Balaio.

O moto clube escolheu a primeira versão. “O sentimento que levou a esta Revolta é muito bem simbolizado na História de um sitiante que vivia de fazer cestos de cipó. Manoel Francisco dos Anjos Ferreira, conhecido pela alcunha de Balaio teve suas duas filhas desonradas por um alferes, vinga-se e adere a revolta contra o poder estabelecido, torna-se um cruel chefe de cangaço e encontra a morte em combate à frente do movimento”, comentam os membros do grupo.

Fotos: Carlos Bazela e Arquivo pessoal / Balaios MC / Texto: Balaios MC / Edição: Carlos Bazela

Comentários