Responsive Menu
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Rally dos Sertões completa 25 anos de off-road para todos

Autor: Carlos Bazela


No último sábado, 19 de agosto, começou a edição 2017 do Rally dos Sertões. Uma das competições off-road de maior prestígio do Brasil, a prova completa 25 anos e se destaca no calendário de eventos pelo alto nível técnico dos competidores e do trajeto, que neste ano começa na capital Goiânia (GO) e termina no próximo sábado, dia 26, em Bonito (MS). Ao todo, são mais de 3.300 quilômetros percorridos por 280 pilotos.

Na categoria moto, então, é uma experiência à parte, como a MOTOCICLISMO comprovou in loco.  “O coração está mil, afinal é a maior prova do off-road brasileiro”, diz Janaína Souza, estreante no Sertões com uma Honda CRF 230F. Embora esteja debutando na competição, a piloto de número 13 já acumula 17 títulos em cinco anos como profissional, incluindo o bicampeonato brasileiro de Enduro FIM na categoria feminina.

Janaína é a única mulher competindo nas duas rodas e tem a experiência de 15 – dos seus 28 – anos no off-road como principal aliada para chegar ao Mato Grosso do Sul no fim dessa semana. “Meu foco é completar bem a prova e me divertir durante sete dias em cima da moto”, conta a piloto com bastante simpatia.

O entusiasmo de quem faz seu primeiro Rally dos Sertões também mexe com os veteranos, que muitos pilotos têm como espelho. “É bom poder passar a experiência que a gente acumula. Tem bons pilotos com potencial para ser lapidado”, comenta Jean Azevedo, hexacampeão da prova e um dos favoritos deste ano com sua Honda CRF 450X.

Qualquer moto é moto

Fazer o Sertões de moto, além da adrenalina, significa participar da prova da forma mais acessível. Para se ter uma ideia, os pilotos que se inscreveram até novembro do ano passado desembolsaram R$ 6 mil de valor de inscrição e os que deixaram para a última hora, R$ 9.750. A quantia pode não ser pequena, mas é bem mais em conta do que os R$ 20.430 cobrados para a categoria carro entre abril e julho deste ano.

Para facilitar ainda mais as coisas, em 2017 o Sertões criou com a categoria Rally Brasil, com inscrições que partiam de R$ 5 mil e composta por motos de até 250 cm³. A grande maioria era composta pela Honda CRF 230F. Mas não são apenas modelos fabricados para o off-road que são liberados para competir.

O sul-matogrossense Paulo Sergio Scapulatempo compete na Over 45 com uma Yamaha Lander 250 e está em sua segunda participação no Rally. “Ano passado eu cai e quebrei o punho com 1.200 quilômetros de prova”, conta. Agora, o objetivo do piloto é voltar para casa inteiro e comemorar. “Eu vou passar meu aniversário no Sertões”, disse Scapulatempo, que completou 50 anos ontem, dia 21 de agosto.

Sobre a preparação da moto, o piloto revela ter investido R$ 40 mil, incluindo o valor da Lander. “Troquei transmissão, exaustão, comando de válvula, ignição…”, disse ele sobre a longa lista de itens substituídos. Então não ficava mais barato ter investido em um modelo próprio para isso? A resposta foi direta. “Essa moto não quebra. Optei por ela por conta do motor ter o pistão forjado, que garante a durabilidade”, justificou Paulo Scapulatempo.

Quase original de fábrica

A ideia de levar uma moto de rua para o Sertões 2017 foi levada ainda mais a sério por Rodrigo Khezam. Sua Yamaha XTZ 250 Ténéré traz até os piscas e quase nenhuma modificação. “Trocamos o óleo da suspensão e colocamos as rodas da TT-R 230 com pneus de competição, protetores de mão, os equipamentos de navegação e só. Até as tampas e parafusos são originais”, explica o piloto, que disse estar impressionado com a legião de fãs da Ténéré. “Quando se fala em off-road, em rali, se lembra da Ténéré. Não lembro de outra moto com essa tradição”, conta.

Segundo Khezam, o sonho de participar do Rally dos Sertões pode ser bem mais acessível com uma moto como a sua. “Com R$ 15, R$ 20 mil você já faz”, diz ele. E para quem ainda tem dúvidas sobre as capacidades da pequena Ténéré fora do asfalto, o piloto, que é veterano no off-road, já venceu uma etapa do Campeonto Brasileiro de Rally Baja com ela.

“Se a gente não chegar em Bonito é porque eu me quebrei, porque a moto chega”, brinca Rodrigo Khezam, mostrando que para competir nos Sertões, é preciso preparo e habilidade mais do que qualquer outra coisa.

Confira como está a classificação geral do Rally dos Sertões 2017 até agora entre motos e quadricilos:

Posição – Piloto (número) / Veículo – Equipe – Tempo

  1.  – Jean Azevedo (02) / Honda CRF 450X – Honda Racing – 4:01:35.93
  2. – Ricardo Martins (06)/ Yamaha WR 450 – Yamaha Rinaldi Rally Team – 4:08:37.72
  3. – Gregorio Caselani (01)/ Honda CRF 450X – Honda Racing – 4:12:01.43
  4. – Marco Pereira (30) / Protótipo 450 Rally – Zema Rally Team – 4:23:03.82
  5. – Marcelo Medeiros (102) / Yamaha Raptor 700 – Taguatur Racing – 4:23:56.39
  6. – Diogo Zonato (103) / Honda TRX 700XX – Zona Racing – 4:27:10.66
  7. – Julio (bissinho) (15) / Honda CRF 230 – Honda Motofield – 4:29:48.62
  8. – Clecio Maestrelli (39) Suzuki DRZ 400 – Tuche70 Racing – 4:34:58.05
  9. – Fellipe Scaini (29) Kawasaki KLX 450 – Scaini Rally Team – 4:37:42.83
  10. – Tulio Malta (17) Honda CRF 230 – Honda Racing – 4:37:43.47

*O jornalista viajou a convite da Honda Racing

Comentários


Motociclismo Online

Motociclismo Online

error: Content is protected !!