Responsive Menu
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

Honda reorganiza estrutura de competição para 2018; veja o que mudou

Autor: Marcelo Barros


A Honda Racing, divisão de competições da marca no Brasil, revelou suas novidades para 2018, quando completa 40 anos de participação e apoio nas competições nacionais com motos.

O primeiro campeonato patrocinado oficialmente pela marca foi a Fórmula Honda, em 1978, para motocicletas CG 125 movidas a etanol. Uma unidade estava exposta no evento, ao lado da CG 160 preparada para pista, utilizada na Honda Junior Cup, categoria escola monomarca do SuperBike Brasil. “São 40 anos construindo o esporte como um todo. Sempre apoiamos os pilotos, as competições e a mídia, tudo importante para impulsionar, multiplicar e expandir o nosso esporte”, declarou Alexandre Cury, diretor comercial e responsável pela área de competição da Honda.

Para 2018, a marca declarou que a meta é no mínimo, superar o resultado do time Honda em 2017, quando acumulou 48 títulos conquistados pelos pilotos da marca. Entre as novidades para 2018, a marca aplicou pela primeira vez o HTT (Honda Talent Test) e dois pilotos foram promovidos para equipes oficiais.

Na motovelocidade, Pedro Sampaio irá competir com a nova CBR 1000 RR no Superbike Brasil, ao lado de Eric Granado, piloto paulistano de 21 anos, atual campeão na categoria principal, que dividirá sua corrida agenda entre o Mundial de Motovelocidade, na Moto2 e a temporada no Brasil. Reinaldo Campos assume o cargo de chefe de equipe. Deixam o time Honda José Luis Teixeira, o “Cachorrão” e Diego Faustino. Com as alterações, a equipe Honda deixa de trabalhar com três pilotos no grid. Além disso, a marca não renovou o apoio a equipe de Alex Barros para 2018. O experiente piloto que finalizou a temporada 2017 com o vice-campeonato.

No motocross, Cale Neto chefia o time. Lucas Dunka foi o aprovado no HTT e reforça o time na MX2, junto com Gustavo Pessoa, atual campeão na categoria. Na MX1, a principal, Hector Assunção e Jetro Salazar, piloto promovido da categoria satélite Honda para a oficial, após uma ótima temporada.

O multicampeão Jean Azevedo, com 44 anos, sete vezes campeão do Rally dos Sertões, dez vezes campeão brasileiro de Rally Cross Country e com muitas participações no Dakar, segue a frente do time de rali, que estreia a renovada CRF 450RX, com muito mais eletrônica que a anterior: “É uma moto com muita tecnologia. É preparada para o enduro e estamos em adaptação para o rali. Tem nos surpreendido positivamente nos testes e vai nos levar ao lugar mais alto do pódio neste ano”, declarou o experiente piloto. Com ele, Tunico Maciel, Gregorio Caselani e Júlio Bissinho Zavatti (de CRF 230F). O mineiro Túlio Malta deixa o time e Dario Julio segue a frente destes pilotos, como chefe de equipe.

No enduro, Júlio César Ferreira Eliziário correrá de CRF 450RX, enquanto Gabriel Lucas Soares e Nicolas Rodrigues entram da disputa com a CRF 250R. O experiente Felipe Zanol segue chefiando este time. Em 2018, a Honda terá ainda as equipes satélites IMS Honda, no motocross, e os times Motofield e Motolitoral no enduro.

Fotos: Wander Roberto/Vipcomm

Galeria de fotos

Comentários


error: Content is protected !!